Secretaria da Cultura



Dia Mundial do Rock

No dia 13 de julho de 1985, Bob Geldof, vocalista da banda Boomtown Rats, organizou o Festival Live Aid, realizado simultaneamente na Inglaterra e nos Estados Unidos. O evento teve um objetivo nobre: arrecadar fundos para ajudar a combater a fome na Etiópia. O festival reuniu ícones da música como The Who, Led Zeppelin, Dire Straits, Madonna, Queen, David Bowie, BB King, Mick Jagger, Sting, U2, Paul McCartney, Phil Collins, Eric Clapton e Black Sabbath. A partir daí, o Dia Mundial do Rock passou a ser celebrado no dia 13 de julho.

Confira dicas de livros sobre o tema que você encontra no acervo da Biblioteca de São Paulo.

Verifique a disponibilidade para empréstimo na aba Catálogo.

 

 

A arte do rock - Imagens que marcaram a era clássica do rock

A arte do rock – Imagens que marcaram a era clássica do rock

O leitor poderá acompanhar, nesta obra, a viagem do historiador de rock Paul Grushkin pela coleção do diretor teatral Rob Roth, reunida por mais de 40 anos. As imagens de cartazes publicitários, capas de discos, crachás e outros itens de ‘merchandising’ do mundo do rock, catalogadas nas páginas deste livro, procuram despertar lembranças dos shows de rock dos anos 70, 80 e 90.

Esta também é uma apresentação de algumas das produções artísticas que definiram a identidade visual de grupos e artistas musicais – Pink Floyd, Rolling Stones, Led Zeppelin, Queen, Elton John, The Who, David Bowie e Alice Cooper.

 

Almanaque do rock

Almanaque do rock

Neste almanaque o leitor encontrará mais de 50 anos de história do rock and roll. Esse ritmo contagiante que traduz excitação e frenesi e que nunca envelhece; pelo contrário, se renova a cada geração. Se na década de 50, quando ele foi inventado por Chuck Berry e Elvis Presley, significava uma fusão da country music e do rhythm’n’blues, hoje essa definição pode ser muito mais ampla.

Com o passar dos tempos, o rock agregou elementos do jazz, da música clássica, do folk e da world music, entre outros. Hoje o rock deita e rola na era digital, usando os famosos samplers, instrumentação eletrônica e muitos computadores.

 

Atravessar o fogo - 310 letras de Lou Reed

Atravessar o fogo – 310 letras de Lou Reed

Em Atravessar o fogo, por meio da tradução de suas mais de 300 letras, é possível contemplar Lou Reed em suas múltiplas facetas – o cronista do submundo nova-iorquino, o narrador de inegável talento para capturar as vozes das ruas, o fetichista depressivo com tendências suicidas e masoquistas, o amante da literatura e das artes de vanguarda.

 

 

Breve história do rock

Breve história do rock

Ouve-se muito por aí – Eu adoro rock. Parece quase uma unanimidade entre as pessoas. Sejam as baladas românticas dos anos 50 ou o trash-metal dos anos 80 – a fonte é a mesma; o rock. O que pouco se sabe é que existem inúmeras variantes deste gênero e muita gente gosta de rock, mesmo sem saber. Em Breve história do rock, é possível entender este enigma. A especialidade deste livro é exatamente esta – desvendar todos os pormenores pelos quais passou o rock.

Seja na música eletrônica ou no punk, Mugnaini identifica as mudanças ocorridas em cada estilo e justifica porque tais estilos são filhos do rock. Desta forma, é possível compreender porque artistas tão diferentes como Led Zeppelin, Nirvana ou Beatles são considerados, igualmente, grupos de rock.

 

Eu conheci Lennon - Como um dia com meu ídolo mudou minha vida para sempre

Eu conheci Lennon – Como um dia com meu ídolo mudou minha vida para sempre

Em 1969, um beatlemaníaco de 14 anos chamado Jerry Levitan entrou no hotel King Edward, no Canadá, equipado com um gravador. John Lennon estava hospedado com sua companheira Yoko Ono no quarto 869, onde fizeram o protesto, sete dias sem sair do quarto, deitados na cama (Bed-in for Peace), e lá receberam convidados e gravaram a canção Give peace a chance.

Em um lance de sorte, Jerry conseguiu entrar no quarto de Lennon e Yoko e gravou uma entrevista de 40 minutos com seu ídolo. Neste livro ilustrado, está a transcrição da entrevista juntamente com suas observações sobre esse encontro, o livro é acompanhado de um DVD e o áudio original da entrevista.

 

Like a Rolling Stone - Bob Dylan na encruzilhada

Like a Rolling Stone – Bob Dylan na encruzilhada

Neste livro, o jornalista Greil Marcus leva o leitor ao dia 15 de junho de 1965, quando Bob Dylan gravou Like a Rolling Stone, música que melhor iria representá-lo como ícone da contracultura. O autor se aprofunda em uma análise do gênio criador de Dylan, tendo como pano de fundo a situação política e cultural dos Estados Unidos, além de resgatar as raízes da música pop em artistas seminais como Robert Johnson e Hank Williams, atento aos percalços de como o legado de Dylan sobreviveu ao tempo.

 

O pequeno livro do rock

O pequeno livro do rock

Este livro é um diário particular do rock, escrito com base naquilo que o autor leu e ouviu durante décadas em revistas, canções e filmes que marcaram as gerações. Ilustrado através de capas de discos, letras de músicas, cortes de cabelo, fatos e boatos. O autor retrata situações sobre personagens desconhecidos.

Há ainda as ‘batalhas’, onde Hervé lista e compara discos de dois artistas ou grupos diferentes – Chuck Berry ou Little Richard, Lou Reed ou David Bowie, Nirvana ou Pixies.

 

Pink floyd e a filosofia - Cuidado com esse axioma, Eugene!

Pink floyd e a filosofia – Cuidado com esse axioma, Eugene!

Qual a relação entre o poder da grande arte e a loucura? Será que as drogas psicodélicas deveriam fazer as pessoas duvidarem das evidências de nossos sentidos? Como a força, o sadismo e a conformidade transformaram a educação em controle da mente? Será que uma banda de rock é capaz de manter sua identidade quando seus integrantes são trocados? O que se pode aprender com as sincronicidades entre o Dark Side of the Moon e O Mágico de Oz? Será que Friedrich Nietzsche foi um precursor de Syd Barrett?

Quando foi que as pessoas chegaram à conclusão de que é o buraco na realidade? Este livro procura responder a todos esses questionamentos.

 

Que rock é esse? - A história do rock brasileiro contada por alguns de seus ícones

Que rock é esse? – A história do rock brasileiro contada por alguns de seus ícones

No livro, o rock internacional serve como referência, posicionando o leitor nas tendências dos respectivos momentos históricos. Dividido em cinco partes (anos 1960, 1970, 1980, 1990 e 2000), Que rock é esse? traz uma linha do tempo para cada década. Nelas, constam os acontecimentos mais importantes da política, do cinema, da moda e da música.

Listas para o conhecimento musical estão espalhadas ao longo da obra, como Os 10 discos de rock internacional mais vendidos, As 10 músicas brasileiras de rock que bombaram na década, Os 10 shows internacionais mais importantes no Brasil, entre outras. Pequenas listas com as gírias mais faladas também podem ser encontradas, assim como revelações de bastidores e análises sobre o panorama musical.

 

Queen - História ilustrada da maior banda de rock de todos os temposQueen – História ilustrada da maior banda de rock de todos os tempos

O livro foi escrito e compilado pelo jornalista britânico Phil Sutcliffe e além de recuperar entrevistas feitas por ele mesmo com integrantes da banda, empreende uma pesquisa no que já se publicou a respeito do Queen. O livro traz imagens de shows, fotos dos integrantes da banda, cartazes de shows, capas de disco, canhotos de ingresso e programas de concerto.

Outro destaque do volume é a discografia comentada. Cada álbum do Queen ganha, aqui, análises assinadas por jornalistas, como Jim DeRogatis e Greg Kot, ou por amigos próximos da banda.

 

Rock in Rio - A história do maior festival de música do mundo

Rock in Rio – A história do maior festival de música do mundo

A história do Rock in Rio inaugural, de 1985, juntamente com a das edições subsequentes realizadas no Brasil, em 1991 e 2001, é o objeto de estudo investigado por Luiz Felipe Carneiro neste livro. O autor pesquisou mais de 2 mil artigos e entrevistou diversos dos organizadores do festival (incluindo Roberto Medina, o ‘pai’ do evento), além de dezenas de artistas e jornalistas, em busca de episódios inusitados em cada edição.

Entre as situações narradas, está a de Rod Stewart jogando futebol com sua equipe dentro de uma luxuosa suíte de hotel, deixada literalmente em cacos; a generosidade de Axl Rose, o costumeiramente intratável band leader do Guns’n'Roses, compartilhando o jantar com produtores, faxineiros e camareiras da equipe de apoio do festival e Cássia Eller barbarizando num show a ponto de impressionar o ex-Nirvana David Grohl, líder do Foo Fighters.

 

 

Biografias

 

Barão Vermelho - Por que a gente é assim

Barão Vermelho – Por que a gente é assim

O baterista Guto Goffi, o produtor Ezequiel Neves e o jornalista Rodrigo Pinto contam a história do Barão Vermelho neste livro, que vem com CD de gravações inéditas. O encarte é escrito por Frejat. Inclui, também, a trajetória de Cazuza.

 

 

 

Eric Clapton - A autobiografia

Eric Clapton – A autobiografia

Eric Clapton é muito mais que um rock star. Apresentou-se ao redor do mundo em shows disputadíssimos e é um artista fundamental no desenvolvimento musical de toda uma era. Sua maneira de tocar o fez ser chamado de ‘Deus’. Composições como Layla, Sunshine of your love, Wonderful tonight e Tears in heaven são inesquecíveis para várias gerações de fãs de música. Neste livro, Clapton conta a história de sua viagem profissional e pessoal sem esconder nada, numa das memórias mais arrebatadoras de nosso tempo.

 

Eu sou Ozzy

Eu sou Ozzy

Esta obra apresenta a vida de John Michael Osbourne desde a infância e dos primórdios do heavy metal até o seu desligamento do Black Sabbath, os momentos de insanidade e a sua vida como pai de família. Eu Sou Ozzy é o registro que mostra que nem tudo na vida de Ozzy foi loucura.

 

 

 

Jimi Hendrix - A dramática história de uma lenda do rock

Jimi Hendrix – A dramática história de uma lenda do rock

A jornalista Sharon Lawrence mostra uma versão até então desconhecida do músico nesta biografia. Sharon era sua amiga e confidente, para quem ele ligava nos momentos difíceis. Munida de farta pesquisa e do depoimento de fontes que haviam permanecido em silêncio até os dias de hoje, como vizinhos e músicos, conta a história de um artista genial, mas sensível, carente e deprimido, pressionado por interesses alheios à arte.

A autora recompõe com delicadeza os conflitos da meteórica carreira de Hendrix, desvendando os bastidores de sua vida – agitação, viagens, processos na justiça, assédio de fãs, drogas, sonhos e desejos. Ainda traça o panorama da época e reproduz as conversas que teve com ele. Nelas, um Hendrix sensível está sempre pronto para o desabafo. Com coragem, expõe a verdadeira guerra judicial que se seguiu à morte do artista, em torno de sua herança, e fornece uma versão bastante pessoal da tragédia que cercou seu prematuro desaparecimento.

 

John Lennon - A vida

John Lennon – A vida

Com acesso a documentos e testemunhos diretos de Yoko Ono, Sean Lennon e Paul McCartney, entre outros, o autor começa por descrever a infância e a adolescência do ex-Beatle. O pai, Freddie Lennon, que o teria abandonado ainda pequeno, e seu lado da história ganha aqui, um relato pormenorizado. Stu e Julia, Lennon admitiria mais tarde, foram as grandes perdas de sua existência. Na outra ponta, Yoko Ono dá um testemunho dos quase quinze anos de vida a dois. Um depoimento de Sean Lennon encerra o livro.

 

Keith Richards - Vida

Keith Richards – Vida

Em Vida, Keith Richards conta sua história, desde a primeira infância, quando cresceu num bairro pobre ouvindo obsessivamente os discos de Chuck Berry e Muddy Waters, até o modo como levou a guitarra ao limite e uniu forças a Mick Jagger para formar os Rolling Stones. Keith revela altos e baixos do rock’n'roll, a subida para a fama, as prisões, as mulheres que teve, o vício em álcool e heroína.

O artista reconta como criou os solos de Gimme Shelter e Honky Tonk Woman, seu romance com Anita Pallenberg (mãe de três de seus filhos) e a morte de Brian Jones. Vida foi escrito em parceria com James Fox.

 

Lobão - 50 anos a mil

Lobão – 50 anos a mil

50 anos a mil é a autobiografia de Lobão, que conta neste volume ilustrado, a história do menino que queria ser jogador de futebol e acabou entrando para o cenário do rock brasileiro. As músicas, os amigos, as confusões com a polícia – o grande lobo não poupa nada nem ninguém.

 

 

 

Paul McCartney - Uma vida

Paul McCartney – Uma vida

Construída com base em anos de pesquisa e entrevistas novas com amigos, companheiros de banda e colaboradores, perpassando toda a vida de Paul McCartney, a biografia de Carlin procura capturar as inúmeras facetas de Paul McCartney e pintar um retrato deste importante artista.

 

 

 

Rita Lee mora ao lado - Uma biografia alucinada da rainha do rock

Rita Lee mora ao lado – Uma biografia alucinada da rainha do rock

Os Mutantes, Roberto Carlos, Wanderléa, Erasmo Carlos, Elis Regina, Raul Seixas, Gilberto Gil, Caetano Veloso são alguns dos personagens que ajudaram a escrever esta biografia alucinada (e sem censura) de Rita Lee, a rainha do rock brasileiro. Ou, como prefere a própria Rita, ‘um tratado arqueológico de minha vidinha vulgar, o encontro de vários elos perdidos’.

 

Para contar essa história, Henrique Bartsch se baseou no diário de Bárbara Farniente, dona de um spa, que sempre foi vizinha de Rita Lee – desde a infância – por causa da paixão que sua mãe alimentava pelo pai da roqueira. Se Bárbara existiu de verdade? Melhor cada um tirar suas próprias conclusões.

 

The Doors por The Doors

The Doors por The Doors

A banda de rock The Doors atuou no meio musical na segunda metade do século XX, e sua influência permaneceu em grupos musicais contemporâneos. Nesta obra, os membros que ainda estavam vivos do The Doors abriram seus arquivos e contaram a história desse grupo musical. Com depoimentos reveladores, entrevistas e textos do guitarrista Ray Manzareck, esta biografia busca abrangir tudo o que se há para saber dessa banda.



Comentários

Deixe seu comentário

Todos os comentários estão sujeitos a aprovação